sexta-feira, 27 de abril de 2012

Porque se eu não gostar de mim…


(Imagem da net)

Veio de mansinho e correu atrás, que eu sou uma naba no que toca às amizades. De repente éramos inseparáveis. Falávamos todos os dias e estávamos juntas quase todos. Em dezembro zangámo-nos. Fizemos as pazes e a amizade melhorou, isto com a promessa de que eu seria avisada se fizesse alguma coisa mal. Afinal as amigas discutem, mas se conversarem as coisas resolvem-se.

Voltámo-nos a zangar há pouco tempo. Não houve pré-aviso. Não houve conversa. Nada. Apenas me voltou as costas e foi-se embora. Ainda assim, passados uns dias pedi-lhe um abraço. Se fosse eu tinha ido a correr dar. Recebi frieza em troca. Respondi mal e ficámos pior. Pedi desculpas, apesar da culpa ser de ambas. Apesar de não ter recebido o abraço. Ela desculpou. Voltei a justificar-me. Neste momento, enquanto ela se decide se é apenas mais uma amiga ou se as coisas voltarão ao que eram antes, eu já me decidi! Eu quero amigas que façam por mim o mesmo que faço por elas. Se uma discussão a faz esquecer tudo o que de bom aconteceu, então não vale a pena. Amigas sim, mas nunca mais será igual. Daqui para a frente vou pensar duas vezes antes de por o bem-estar de outra pessoa à frente do meu.

2 comentários:

  1. Bem verdade...damos demais aos outros e em troca só recebemos tristezas!

    ResponderEliminar
  2. Querida MAG, amizades doridas não são para mim! Ou se gosta com todas as qualidades e defeitos, ou então adeus!
    Sem mágoas...
    Um grande beijinho para ti.

    ResponderEliminar

Todos os comentários são sempre bem-vindos ;)